Minha primeira greve de metro em Londres

Depois que vim morar aqui já tiveram algumas vezes que os sindicatos dos funcionários do metro ameaçavam, mas sempre chegavam a um acordo antes da greve… dessa vez foi um pouco mais confuso…

Eles chamaram greves de 48 horas em duas semanas seguidas… semana passada (05 e 60 de fevereiro) e essa semana (12 e 13 de fevereiro). Na primeira semana aconteceu a greve, já que as discussões não conseguiram chegar a um acordo… já na segunda semana a greve foi cancelada.

Não entro aqui no mérito se concordo ou se não concordo com eles, a questão foi bastante dividida entre todos que conversei… mas quero pelo menos contar como o pessoal aqui conviveu com esses dois dias de greve de metro.

Primeiro, foi só o metro que fez greve, o que significa que ônibus, trens, trams, e até as bicicletas de aluguel da cidade poderiam ser usadas.. Mesmo o metro montou um serviço de emergência.. com algumas linhas funcionando parcialmente e outras pulando paradas e com menos trens funcionando.
O aviso foi que estaria planejado um trem a cada 5 minutos… minha experiência em horário de pico é de um trem a cada minuto (as vezes menos que isso) e os trens andam cheios…

Como eu tinha uma reunião na quarta e também estava curiosa pra ver a greve ao vivo, eu avisei no trabalho que iria… na quinta trabalhei remoto de casa.

Como saio de casa muito cedo pela manha, não achei que iria ter problema.. sai ainda mais cedo nesse dia porque teria que pegar 2 ônibus, mas nada muito traumático.. cheguei no trabalho na mesma hora de sempre. Já a volta…

Levei quase 2 horas a mais do que costumo fazer no caminho de volta. Decidi quando cheguei em King’s Cross em pegar um trem que cruza o centro de Londres, caminhar pelo rio até a estação de Waterloo e pegar um ônibus que me deixaria na frente de casa. Até pegar o ônibus estava até gostando do meu trajeto… um passeio na parte turística de Londres no meio da semana, um pouco de ar fresco e a visão de muita gente que como eu decidiu andar pelo centro.
Quando peguei o ônibus notei que deveria ter continuado andando… muito transito, muita confusão, ônibus lotado… uma bagunça na cidade. Mas enfim.. era isso que eu queria ver!

O que posso contar é que no geral, voce via as pessoas fazendo um esforço imenso pra fazer a cidade continuar andando… muita paciência, muitas filas e muito respeito das pessoas a pesar do trajeto tumultuado de todos.

Eu sempre fico impressionada com as lições de civilidade e convívio em grupo que as pessoas por aqui me dão. Não que eu, ou outras pessoas, não faria o mesmo… mas a noção de sociedade como um grupo ainda temos muito que aprender no Brasil…

05022014_iphone_005

P.S.: Desculpe a qualidade da foto.. isso foi devido a chuva, vento, pressa pra pegar o trem e falta de atenção na hora de tirar a foto… mas da pra ver a estação de King’s Cross St Pancras com algumas entradas fechadas as 17h de uma quarta-feira.

3 thoughts on “Minha primeira greve de metro em Londres

  1. Em São Paulo , voce deve saber , que há o melhor sistema de metro do pais… semana passada tivemos um apagão e, por conta disso, muitos trens param por alguns poucos minutos, o povo surtou! Teve trem que parou em túneis e outros fora da plataforma, com calor de quase 40° todo dia, teve gente que não esperou o problema se resolver, abriram as portas e saltaram nas linhas, imagina!!
    Conclusão: todo o sistema entrou em colapso , a multidão super lotou as estações e, chegou um momento em que os funcionários colocaram os usuários para fora e fecharam algumas estações. Teve gente que levou até 5 horas para chegar em casa, considerando que o trajeto normal usando o metro, mesmo no horário de pico, não ultrapassa 30 minutos.
    Nessas horas é que vemos a diferença dessa tal civilidade e convívio em grupo a que voce se refere. E sim, o metro é necessário e muito útil.

    Beijos e bom fim de semana Mercia.
    Happy Valentine’s day 😀

Comments are closed.